Este espetáculo reúne cenas de três trabalhos anteriores (Querida Sra. M.,, Dois sopros e Corpos partidos) e as transforma numa nova dramaturgia. Aqui, Juliana Moraes radicaliza o desafio de não coreografar no sentido tradicional. As qualidades dinâmicas e espaciais que constituem cada cena são estudadas de modo exaustivo até que as texturas corporais possam ser explicitadas no palco através de improvisações. A cama de solteiro de 5 metros de comprimento, muito mais do que ser somente objeto de cena, torna-se um duplo com o qual a artista trava um embate.
As várias posturas estudadas vêm de revistas de moda e estilo, que veiculam uma ideologia do corpo e do comportamento femininos, e de filmes pornôs, que também criam uma expectativa de comportamento para a mulher. A essas posturas aprendidas de fora para dentro, movimentos e gestos bastante íntimos são contrapostos, como se o corpo, no meio de tantos condicionamentos, expressasse suas inadequações. Assim, apropriando-se de posturas e gestos impostos para a mulher e ao mesmo tempo recusando essas posturas e esses gestos, Juliana Moraes apresenta um corpo em curto-circuito em 3 tempos num quartos em lembrança.

Ficha técnica
Criação e interpretação: Juliana Moraes
Trilha sonora: Laércio Resende
Projeto da cama: Lúcia Shimbo e Maristela Gava
Desenho de luz: André Boll
Figurino: Juliana Moraes
Interlocutores: Isabel Marques e Fábio Brasil
Assistente de direção para apresentações no Sesc Av. Paulista: Isabel Monteiro
Apoio: Instituto Caleidos e Unicentro Belas Artes de São Paulo.

Loading more stuff…

Hmm…it looks like things are taking a while to load. Try again?

Loading videos…