Passageira em Casa is an intermedia and inter-disciplinary maritime performance inspired by the journey to define the concept of “home”. The narrative is a partially fictionalized and personalized account of the Maritime history of Portugal, enacted by a dancer, a vocal performer, a live video performer, a live electronic composer, and other artists…all of or children of immigration. The text of the project is inspired by Camões, Os Lusíadas.

The text, or “lyrics”, of the project are developed by the director, with poet Ian Colbert, based on Os Lusiadas; as well as Hawaiian chant, the directors ancestors diaries and memoirs, and the director’s own writing. The project is inspired by various texts related to maritime journeys and Portuguese history and culture. Context specific in varying historical, cultural, lingual, architectural, and personal aspects, the project has a conceptual anchor, but will always be born new as it travels to new locations and situations as an epic Exquisite Corpse.

” ‘More than a few Portuguese of my generation relate the story of as a child looking to the map of Portugal hanging in their classrooms as a face…Spain being the hair and neck…the face of Portugal in profile looking away from the known land, out to sea, past sea, to new.’ ((“Portuguese Modernism Unbounded: a Poetics for the ‘Border Identity’” – Maria José Canelo). Somewhere in my bloodline was this experience. It leads them cross-land and two oceans to Hawaii. My mother looked back the way they came, I looked beyond where she led me. Now a bloodline becomes a circle. But is that a return? Return again implies a home base. But this speaks of many lifetimes. Can one’s ancestry become a personal history? Could this feel like a return home? Could this feel like a home?”

///

Artistic Director and Composition: Maile Colbert

Support: Direção Geral das Artes, Portugal

Production Director: Luis Costa

Production Assistant: Carina Martins

Production: Cross the Pond and Binaural/Nodar

Text: Ian Colbert and Maile Colbert

Sound Design and Compostition: Rui Costa and Maile Colbert

Dramaturgy: Rui Catalão

Choreography: Wanda Gala

Dance and Choreography: Rafaela Salvador

Lighting Design and Video: Maile Colbert

Vocal Performer: Anna Hints

Video Assistance: Sara Morais

///

Artist Residencies:

Experimental Intermedia, NYC, USA

Nodar Rural Lab, Nodar, Portugal

Centro de Experimentação Artística, Fábrica da Pólvora, Oeiras, Portugal

Espaço PerFormas, Aveiro, Portugal

Passageira em Casa é uma perfomance intermedia e multi-disciplinar inspirada pela viagem em busca da definição de “casa”. A narrativa é parcialmente ficcionada e consiste num relato pessoal sobre a história marítima de Portugal, levada à cena por uma bailarina, uma performer vocal, uma artista vídeo e um compositor sonoro e outros artistas… todos eles filhos da emigração. O texto do projecto é inspirado em Os Lusíadas, de Luís de Camões.

O texto do projecto foi desenvolvido pela directora e pelo poeta Ian Colbert, baseado n’Os Lusíadas, em cantos Havaianos, memórias e diários dos antepassados da directora, por textos da sua autoria e outros textos relacionados com viagens marítimas e história e cultura de Portugal. O projecto é adaptado a vários contextos históricos, culturais, linguísticos, arquitecturais e pessoais, mantendo uma base conceptual mas sendo recriado à medida que viaja para novas locais, como um Cadáver Esquisito épico.

“Muitos portugueses da minha geração relatam a história de uma criança olhando para o mapa de Portugal pendurado na sala de aula como se fosse uma cara… a Espanha como se fosse o cabelo e o pescoço… a cara de Portugal vista de perfil, de costas para a terra conhecida, virada para o mar, mar passado, mar novo. Algures na minha genealogia esta experiência ocorreu. Levou-os através de uma massa continental e dois oceanos até ao Havai. A minha mãe olhou para a terra de onde eles vieram, eu olhei para além da terra onde ela me conduziu. Agora, a genealogia torna-se num círculo. Mas será isto um regresso? Um regresso implica uma origem. Mas isto refere-se a múltiplas gerações. Pode a história genealógica de uma pessoa tornar-se numa história pessoal? Pode isto ser um regresso a casa? Será que isto se parece com a nossa casa?”

///

Direcção Artística: Maile Colbert

Fundos: Direção Geral das Artes, Portugal

Direcção de Produção: Luís Costa

Assistente de Produção: Carina Martins

Produção: Cross the Pond e Binaural/Nodar

Texto: Ian Colbert and Maile Colbert

Desenho e Composição Sonoras: Rui Costa e Maile Colbert

Dramaturgia: Rui Catalão

Coreografia: Wanda Gala

Dança e Coreografia: Rafaela Salvador

Desenho de Luz e Vídeo: Maile Colbert

Performer Vocal: Anna Hints

Assistente Vídeo: Sara Morais

///

Residências Artísticas:

Experimental Intermedia, Nova Iorque, EUA

Nodar Rural Lab, Nodar, Portugal

Centro de Experimentação Artística, Fábrica da Pólvora, Oeiras, Portugal

Espaço PerFormas, Aveiro, Portugal

Loading more stuff…

Hmm…it looks like things are taking a while to load. Try again?

Loading videos…