Trabalho apresentado no Seminário Arquitetura e Ambiente "O que será do amanhã?" no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo - Maio de 2008

"A Intervenção com Grafites nos Pilares que Sustentam a Cidade"

As manifestações artísticas mais antigas são os desenhos feitos nas paredes das cavernas (pinturas rupestres), consideradas como os primeiros exemplos de graffiti encontrados na historia da arte. Devido a necessidade de se expressar, os homens das cavernas registravam co uma linguagem simbólica própria, elementos de sua cultura, utilizando-se de materiais naturais (terra, folhas, sementes).

A partir da década de 60 em Nova Iorque, o graffiti ganhou dimensão pública quando jovens do subúrbio começaram a marcar presença nos muros das regiões mais nobres da cidade. Em 1981, Jean Michael Basquiat, surge nos subúrbios de Nova Iorque, inovando ao escrever frases políticas e provocativas, combinadas a desenhos coloridos e irreverentes, que causaram grande polêmica.

No Brasil, mais especificamente na cidade de São Paulo, por volta de 1978 Alex Vallauri, inspirando-se nas pichações que surgiram na cidade a partir da década de 40, começou a intervir nos muros da cidade com sátiras relacionadas a sociedade burguesa da época. Com o inicio do graffiti na cidade, surgiram nomes importantes na historia como: Mauricio Villaça, Carlos Matuck, John Howard, Rui Amaral, entre outros.

O graffiti trata-se de um movimento relacionado as artes, em que o grafiteiro aproveita os espaços existentes na cidade, criando uma linguagem que interage com seu ambiente, utilizando-o como seu suporte.

O graffiti é uma das maiores formas de expressão, devido a dimensão alcançada no espaço urbano. Nos dias atuais rompeu barreiras, mesmo sendo um elemento da cultura de rua, sendo aceito como arte em exposições de grandes galerias.

Este trabalho teve por objetivo registrar diferentes pontos de vista a respeito da intervenção através do graffiti no ambiente urbano. A partir da aplicação de um pequeno questionário, foi possível observar as diferentes percepções dessas intervenções. A pesquisa foi realizada no Bairro do Brás, zona central da cidade de São Paulo, devido ao grande fluxo da população. Partiu-se do princípio que os pilares sustentam a cidade, então optamos por compartilhar desse suporte no desenvolvimento desse trabalho.

O pilar é um elemento estrutural de transição, usado para receber os esforços de uma edificação e transferi-los para outros elementos. Fazer uma intervenção em um pilar nos remete a valorizar esse importante suporte da cidade, comumente despercebido ao olhar da população.

Conclui-se que o graffiti tem um grande potencial de transformação, criando valores plásticos ao local escolhido podendo, ate influenciar o modo de vida do observador.

Alunos FEBASP: Gabriel Paulo Antonio Kieling; Raphael Thomaz Sanches do Amaral.
Professor FEBASP/UFSCar: Prof. Dr. Waldir José Gaspar.

Loading more stuff…

Hmm…it looks like things are taking a while to load. Try again?

Loading videos…