Ear to Mind

Rudá, Rudá...
Cairé, cairé nú
Manuára danú çanú
Eré ci erú
Piape amu
Omanuara ce recé
Quanhá pitúna pupé
Catiti, catiti
Imara notiá
Notiá imára
Espejú
Emú manuára
Ce recé
Cuçukui xa ikó
Ixé anhú i piá póra.
Moraussuba!

"Eia, ó minha mãe fazei chegar esta noite ao coração a lembrança de mim. Lua nova, ó lua nova! Assoprai em fulano lembranças de mim, eis-me aqui, estou em vossa presença; fazei com que eu tão-somente ocupe seu coração."

Pedir amor à Lua faz parte do mundo, esta associação faz parte da humanidade. O poder da Lua nunca deve ser subestimado, porque amar é um presente das deusas. O amor só se invoca se o amado ou amada corresponder, portanto, sem essa reciprocidade não peças para ser amado, até podes conseguir, mas não será duradouro. As invocações a Rudá são empurrões no amor, que nunca devem fazer brotar o inexistente. São precisos dois para haver um amor verdadeiro, dois que se queiram. À Lua Nova, pede apenas se tiveres certeza, e, aí sim, na Lua Cheia ergue os olhos para o céu e agradece, pois encontraste o amor.

Ensemble I&D
Direcção Musical - Dimitris Andrikopoulos
22/05/2011, Teatro Helena Sá e Costa, Porto, Portugal

j vimeo.com/31077017

Loading more stuff…

Hmm…it looks like things are taking a while to load. Try again?

Loading videos…