Na década de 1960, um grupo radical de psicoterapeutas desafiou a influência das ideias freudianas na América. Eles foram inspirados pelas idéias de Wilhelm Reich, discípulo de Freud, que se voltou contra ele e foi odiado pela família Freud. Ele acreditava que o eu interior não precisa ser reprimido e controlado mas sim encorajado a se expressar. Daí nasceu um movimento político que procurou criar novos seres, livres da conformidade psicológica que havia sido implantado na mente das pessoas por parte das empresas e da política.
Este programa mostra como isso se desenvolveu rapidamente nos Estados Unidos através da movimentos de auto-ajuda como o Seminário Werber Erhard de Treinamento - até a irresistível ascensão da auto-expressiva: Geração do eu.
Mas as corporações norte-americanas logo perceberam que este novo eu não era uma ameaça, mas a sua maior oportunidade. Era de seu interesse incentivar as pessoas a sentir que eram indivíduos únicos e, em seguida, vender-lhes maneiras de expressar as suas individualidades. Para isso, voltaram-se para técnicas desenvolvidas pelos psicanalistas freudianos para ler os desejos interiores do novo eu.

Loading more stuff…

Hmm…it looks like things are taking a while to load. Try again?

Loading videos…